AMADOS E AMADAS
PARA FALAR DAS COUSAS DO ALTO,
CADASTREM-SE

EZEQUIEL NEVES
ADMN

A FAMÍLIA NA BÍBLIA- CONTINUAÇÃO

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

A FAMÍLIA NA BÍBLIA- CONTINUAÇÃO

Mensagem  Welbe em 2013-01-07, 10:22

4,9-10
: Então Booz falou aos anciãos e a todo o povo: "Hoje vós sois testemunhasque eu recebi das mãos de Noemi tudo aquilo que pertence a Elimelek, a Kílion e aMahlon, e que também comprei Ruth, a moabita, mulher de Mahlon, a fim de queseja minha esposa, para que possa reviver o nome do falecido na sua herança e nãodesapareça entre seus irmãos e nas soleiras de sua localidade. Vós soistestemunhas!"Is 41,14: não temas, verme de Jacó, vermezinho de Israel, eu vou em teu socorro, -oráculo de Javé -, e teu redentor é o Santo de Israel.
4. A Comunidade Familiar.
O Decálogo tem um mandamento que impõe respeito para com o pai e a mãe. É oprimeiro, depois dos preceitos fundamentais relativos a Deus, ao seu culto e à Aliança.Este mandamento menciona também bênçãos para quem os cumpre e pena de morte paraquem amaldiçoa pai e mãe.
Dt
5,16
: Honra teu pai e tua mãe, como Javé, teu Deus, mandou, a fim de que teusdias na terra se tornem numerosos e sejas feliz na terra que Javé te deu.Lev.
20,9
: Quem maltrata seu pai e sua mãe deverá ser matado. Maltratou o pai e a mãe,seu sangue recairá sobre ele.
Os sábios de Israel aprofundam esta lei e a enriquecem com ensinamentos para avida de cada dia O tema da dignidade dos pais é desenvolvido com paralelismos contínuosentre a figura do pai e da mãe, o que expressa a igualdade fundamental do homem e damulher no quadro familiar, testemunhada no mandamento de Deus.É dever fundamental dos filhos, em relação aos pais, escutá-los, pois é deles que,além da vida, recebem também a sabedoria. Deve-se respeito para ambos na mesmamedida, pois é pela união deles que receberam a vida, considerando, porém, de maneiraespecial, o sofrimento da mãe nesta missão.O livro de Sirac faz uma síntese muito rica a respeito da consideração devida aospais, meditando sobre o mandamento do decálogo, lhe dando um sentido sagrado eligando-o ao motivo fundamental da Aliança.
Prv
1,8-10
: Escuta, ó filho as instruções de teu pai e não rejeites os ensinamentos detua mãe. Eles serão uma coroa resplendente sobre tua cabeça, colares no teupescoço. Meu filho! Se os pecadores procuram te seduzir, não os ouças.

Eclo
7,27-28
: Honra teu pai e tua mãe com todo o teu coração e nunca esqueças asdores do parto de tua mãe. Lembra-te que eles te geraram.
A estrutura da família israelita permanece patriarcal. Existe o clã e dentro do clãcada uma das famílias. O marido é chamado "
ba´al
" (dono) ou "
´adon
" (senhor). Amulher é um bem que não se pode roubar ao próximo. O marido não raramente secomporta como um verdadeiro dono, usando a mulher com uma liberdade, para nósabsurda e imoral.
Gen.
18,12
: Então Sarai riu dentro de si dizendo: "Acabada como estou terei ainda talprazer sendo meu marido já velho?Dt. 5,21: Não cobiçarás a mulher do teu próximo. Não cobiçarás a casa de teupróximo, nem seu campo, nem seu escravo, nem sua escrava, nem seu boi, nemseu burro, e nada que seja do teu próximo.Gen.
12,11-14
: Quando estava para entrar no Egito, disse a Sara, sua mulher: "Eu seique tu és uma mulher formosa. Vai acontecer que os egípcios ao te verem dirão: -Aquela é sua mulher - e me matarão deixando você viva. Dize, por favor, que és uma minha irmã, a fim de que eu seja bem acolhido por causa tua e tenha a vida
salva graças a ti." Aconteceu mesmo assim. Abraão chegou ao Egito e os egípciosviram que a mulher era muito linda.
A situação

da mulher não é simplesmente a de uma escrava, como aliás, o decálogoe os comentários dos sábios demonstram largamente. O poder do marido, emborasublinhado, tem seus limites na Lei, e assume uma evolução positiva dos costumesfamiliares. Se acontecia até que um homem vendia a filha como escrava, caso contempladona Lai sob determinadas condições, nunca podia vender a própria mulher, nem mesmo seera presa de guerra. No caso de acolher uma mulher como prisioneira, significava assumi-la totalmente como esposa. Se, depois, era repudiada, não era mais escrava, mas umapessoa livre, por causa da dignidade assumida entrando na família do povo de Deus. Amesma lei que permitia o repúdio, concebido como uma atitude do homem em relação àmulher, testemunha a existência de uma clara proteção legal que implica a restituição daliberdade á mesma mulher.
Ex.
21,7
: Quando um homem vende sua filha como escrava, ela não deve sair comosaem os escravos.Dt
21,10-14
: Quando guerreares com teus inimigos e Javé, teu Deus, os terá postosem tuas mãos, e tu tiveres feito prisioneiros, se vires entre os prisioneiros umamulher de aspecto bonito e te ligares a ela ao ponto de tomá-la como esposa, alevarás para casa e será tua mulher. Se, depois, não a amares mais, deixá-la-as livreconforme seu desejo, mas não a venderás nunca por dinheiro e nem usufruirás delacomo escrava, do momento que a desonraste.Dt. 24,1: Quando alguém tiver tomado uma mulher e a tiver tratado como esposa, seacontecer que ela não ache mais graça diante de seus olhos porque achou nela algode indecente, escreva um libelo de repúdio, o coloque em suas mãos e a afaste desua casa.
A dignidade da mulher no quadro da família está sobretudo na sua maternidade,naquela que com seus sofrimentos assegura a continuidade da família e do clã, se tornando,assim, a medianeira das Bênçãos divinas, que têm, na posteridade, sua maior expressão. Noculto Israel celebra a felicidade do justo em ter uma mulher fecunda e uma posteridadenumerosa. Também na sociedade patriarcal, onde está acentuado o primato da virilidade,com os inconvenientes acima abordados, a mulher fecunda adquire uma dignidadeparticular e atrai mais fortemente o marido. Acontece também, como no caso de Ana que épreferida por Elkana não obstante sua esterilidade, que ela seja amada além da suacapacidade de procriar.O Livro dos Provérbios nos dá uma síntese da dignidade da mulher no quadrofamiliar. Embora na redação do livro o assunto mulher nos leve a pensar numa alegoria dasabedoria, todavia é muito significativa a maneira de como a mulher é vista no casa. Comoadministradora é uma bênção contínua, é motivo de honra para o seu homem envolvido emseus próprios afazeres.
Sl
128,1-4
: Bem-aventurado tu que temes Javé.... Tu prosperarás. Tua esposa seráuma videira fecunda no interior de tua casa. Teus filhos rebentos de oliveira aoredor de tua mesa. Eis como será abençoado o homem que teme Javé.Gen 16,3-5: Assim, depois de dez anos em que Abraão morava em Canaã, sarai, suamulher, tomou sua escrava Agar, a egípcia, e a deu como mulher a Abraão, seumarido. Ele se aproximou dela e ela ficou grávida. Quando a escrava notou queestava grávida, começou a olhar com desprezo para a sua senhora.Sarai disse aAbraão: "Tu és responsável pela injúria que estou sofrendo. Fui eu mesma que pus
10minha escrava em teus braços, mas ela, assim que ficou grávida, começou adesprezar-me. O Senhor seja juiz entre mim e ti".1Sam
1,4-8
: Certo dia Elkana ofereceu um sacrifício. Ele costumava dar à sua mulherFenena e a todos os seus filhos e filhas porções iguais. A Ana, porém, dava umaporção escolhida, pois era Ana que amava, mas o Senhor a tinha deixado estéril.Além disso sua rival a magoava e atormentava, deixando-a perturbada. Assimacontecia cada ano e sempre que subiam à casa do Senhor, Fenena provocava Anadeste jeito e Ana chorava e não comia. Então Elkana, seu marido, lhe disse: "Ana,por que estás chorando e não te alimentas? E por que se aflige teu coração? Acasoeu não sou melhor, para ti do que dez filhos?"
Maridos e filhos estão conscientes da segurança que lhes dá uma boa mãe eexcelente administradora da
casa
e não deixam de louvá-la publicamente. A liturgia daIgreja, nas missas de casamento, confirma este modo de ser, propondo como modelo demulher cristã a mulher celebrada no Livro dos Provérbios. A mulher, se diz, - edifica a
casa
com a sua sabedoria, mas pode destruí-la com a sua insensatez. Ela não é somente umacessório do marido, mas o verdadeiro sustento dele, um auxílio que Deus lhe ofereceudesde a criação do mundo, auxílio igual a ele por natureza e dignidade. Nunca será um bementre outros bens, mas um Dom especial de Deus, enquanto os outros bens se transmitempor herança.
Prv 31,10-31: A mulher de valor quem a encontrará? Ela é muito mais preciosa do queas jóias. Seu marido confia nela plenamente e não precisa de outros recursos. Elalhe proporciona sempre alegria, nunca desgostos, todos os dias de sua vida. Elaprocura lã e linho e trabalha prazerosamente com suas mãos. É parecida com onavio do comerciante que importa de longe as provisões. Ela se levanta, aindanoite, para dar alimento aos criados e sustento às empregadas. Examina um terrenoe o compra e com o ganho de suas mãos planta uma vinha. Ela se cinge comfirmeza e redobra a força de seus braços. Alegra-se com o sucesso dos seusnegócios e, de noite, sua lâmpada não se apaga. Estende as mãos para a roca e seusdedos seguram o fuso. Abre suas mãos ao necessitado e as estende para o pobre.Não se preocupa pela casa por causa do frio e da neve, pois seus criados vestemroupas forradas. Para seu uso confeccionou cobertas, e suas vestes são de linho epúrpura. Seu marido é respeitado no tribunal, quando se assenta entre os anciãosdo lugar. Ela fabrica tecidos de linho para vender e fornece cinturões aoscomerciantes. Fortaleza e dignidade são seus adornos, ela sorri para o futuro. Abrea boca para a sabedoria e uma instrução bondosa está na sua língua. Elasupervisiona o andamento da casa e não come o pão na ociosidade. Seus filhoslevantam-se para felicitá-la e seu marido para fazer elogios.São muitas as mulheres de valor, mas tu ultrapassaste a todas. O encanto éenganador e a beleza passageira. A mulher que teme o senhor, essa sim que mereceelogios. Dai-lhe o fruto do seu trabalho e suas obras louvem na praça da cidade.Ecl
36,26
: Quem possui mulher possui o princípio da riqueza, uma coluna de arrimo.Prv 19,14: A casa e o patrimônio são heranças de família. Uma mulher prudente,porém, vem do Senhor.
A comunidade familiar israelita abrange também os escravos. Com seu trabalho,eles encontravam um ambiente que lhes permitia superar seu isolamento e resolver oproblema da subsistência. Escravos verdadeiros podiam até se tornar membros efetivos dafamília, inseridos na vida da família e participantes da ceia pascal, da alegria dasfestividades e, caso servissem a sacerdotes, podiam também consumir alimentosconsagrados.

fonte: SCRIBD.

Welbe

Número de Mensagens : 347
Idade : 46
Localização : São Paulo - SP
Data de inscrição : 29/10/2008

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum